É crescente o número de seguidores da ideologia alimentar chamada vegetarianismo, onde na categoria mais estrita – veganos – há uma restrição de qualquer alimento de origem animal e até mesmo qualquer produto que use animais para o seu desenvolvimento.

As evidências científicas atuais mostram que com a adequação no consumo dos nutrientes necessários para cada indivíduo é possível sim manter um ótimo estado de saúde mesmo em condição vegetariana. Ficando claro que não é o fato de manter ou excluir alimentos de origem vegetal te beneficiará diretamente proporcionando ou prejudicando a sua saúde. Sabemos que o importante é ter os nutrientes em quantidade adequadas, não deixando ficar deficiente em nenhum nutriente e também não consumindo nutrientes que em excesso comprometerão de alguma forma a sua saúde, como as gorduras expostas às carnes ou um chocolate mesmo na versão amarga.

Assim, não deixe de consumir todos os grupos alimentares indicados por seu nutricionista e principalmente nas porções por ele (a) indicado. Organizar marmitas é fundamental para suprir sua demanda alimentar do dia, facilitando a diversidade de alimentos e enriquecendo de nutrientes o seu dia.

Mas será que o vegetarianismo pode ser seguido durante a gestação? Não trará problemas de saúde para a mãe e o desenvolvimento do bebê?

De acordo com a Canadian Dietary Association, se bem planejada as dietas vegetarianas são adequadas para todas as fases dos ciclos da vida, incluindo para a gravidez.

Buscando mais detalhamento neste tema fui buscar mais estudos científicos e infelizmente há escassez sobre este tema, e dentro de alguns estudos um grande viés e a heterogeneidade dos resultados. Como na avaliação do feto, em que alguns estudos demonstram baixo peso e estatura ao nascer nos filhos de mães vegetarianas, assim como, outros mostram exatamente o inverso. E vale também para a avaliação da mãe grávida em relação aos distúrbios hipertensos ou deficiências nutricionais, os estudos são controversos.

Mas alguns dados são bem positivos e importantes de serem compartilhados, como o estudo de Lee, Y.; Park. K., Nutrients, 2017. Que realizou uma grande investigação sobre os benefícios de uma dieta vegetariana e concluiu que a dieta vegetariana é inversamente associada ao risco de diabetes, fator esse relevante haja vista que 4% das gestações são acometidas da condição patológica de diabetes gestacional.

Assim, o cuidado com a elaboração do plano alimentar se faz importante para todas as fases da vida e ter o conhecimento é fundamental para proporcionar a segurança alimentar e fornecimento adequado nutricional, para assim, otimizar a saúde e performance em geral.  Por isso, não deixe de procurar um bom profissional e seguir as recomendações alimentares indicadas, para que consiga ter a praticidade e exatidão nas porções indicadas, por essas e outras, recomendo a inclusão de marmitas como pelo menos uma opção para ter em casa, em casos quando houver a necessidade de maior praticidade, gerando a facilidade por estarem pronta e porcionadas.

Escrito por: Nutricionista Dr. Rodrigo Moreira - CRN 38867

Comentário Facebook